1

Oficina de Mangá

No Japão "pós-apocalíptico" que acabara de vivenciar o terror de duas bombas atômicas, as histórias em quadrinhos se tornaram raras. Mesmo raras, as histórias em quadrinhos no Japão ainda se restringiam às tiras de jornais e histórias infantis. Além disso, eram histórias com câmeras paradas que sempre mostravam os personagens de corpo inteiro e contavam histórias breves.

Osamu Tezuka (1928-1989) foi o responsável pelas mudanças drásticas que transformaram as histórias em quadrinhos no Japão. Horrorizado pelos terrores da Segunda Guerra Mundial, Tezuka queria divulgar a paz mundial. E foi nas histórias em quadrinhos e nas animações que ele encontrou os meios para fazer isso.

Osamu foi muito influenciado pelo cinema e quadrinhos desde criança, principalmente devido ao seu pai que gostava muito de cinema e quadrinhos e presenteava o filho com quadrinhos do mundo todo. Com forte influência do cinema e quadrinho norte-americano, Tezuka criou um estilo único de fazer histórias em quadrinhos com narrativas de histórias longas emocionantes (graphic novels), personagens de olhos grandes, mudanças e movimentação de câmeras bruscas e constantes, linhas de movimento e muita ação. Mais tarde, ele levou esse estilo único também para as animações (Animes).

Tezuka faleceu aos 61 anos, ainda muito jovem. Mas deixou um legado que influencia até hoje artistas do mundo inteiro. E até hoje ele é reconhecido e reverenciado como o Deus do Mangá, as famosas histórias em quadrinhos do Japão.

comments powered by Disqus